Tons de verde

14 setembro 2005

O post abaixo, do Luís, causou em alguns leitores dúvidas quanto à nossa avaliação da qualidade das obras recebidas até agora. O Luís explicou, nos comentários, mas acho que é útil fazer aqui um ponto da situação também a esse nível.

Nós tínhamos duas batalhas que tínhamos de ganhar à partida, caso quiséssemos que este projecto acabasse por ser concretizado: a batalha da quantidade e a batalha da qualidade. A primeira ficou ganha logo em Agosto, quando começámos a compreender que o número de submissões ia ser alto. Disso vos temos dado conta aqui, mas não vos temos falado muito da segunda batalha.

Pois bem: julgo que posso garantir que neste momento temos material suficiente para publicar um livro com 400 páginas e nenhuma história má. Temos um número elevado de bons contos, alguns contos muito bons e, como o Luís disse, uns dois ou três que chegam às portas do excepcional. Não temos nenhuma história excepcional, por enquanto, e é só aí que reside a nossa frustração, porque de resto estamos plenamente satisfeitos com o que os autores nos propuseram.

Porque queremos que esta antologia seja um marco, porque queremos que o projecto tenha continuidade, o que só se consegue com compradores e leitores, gente que espere com expectativa pela antologia do ano seguinte, porque queremos, enfim, mostrar que em língua portuguesa é possível produzir muito boa literatura fantástica, gostaríamos de publicar uns dois ou três contos ou noveletas excepcionais e até de nos podermos dar ao luxo de rejeitar todos os contos que forem meramente bons. Já é certo que iremos rejeitar alguns, mas gostaríamos de poder rejeitá-los a todos.

É esse o desafio actual: o de acrescentar ao material muito bom que já temos mais material muito bom e de conseguir encontrar algum material extraordinário. E isso, meus caros autores, só vocês nos podem dar.

1 comentários:

Octavio disse...

Aaaaaaaaaah... ;-)
Ok.